Saiba mais sobre a lei que permite pedágio cobrado por Km rodado

4 minutos para ler

Você já ouviu falar no pedágio cobrado por km rodado? Hoje em dia, no Brasil o pedágio é cobrado por tarifa fixa. No entanto, uma relevante mudança foi sancionada recentemente.

O objetivo da alteração é alcançar valores mais justos e tarifas menores por meio da implantação de pedágios eletrônicos nas estradas com cobrança pela quantidade de quilômetros rodados.

Quer descobrir o que diz a lei que permite pedágio cobrado por km rodado? Então, continue a leitura deste post que vamos apresentar mais detalhes. Não perca!

Como vai ser o pedágio por Km rodado?

De acordo com a Lei n°14.157/2021, a norma que dispõe sobre o tema, os trechos devem ser divididos proporcionalmente de acordo com os Km de extensão da rodovia. Além disso, a identificação dos carros deve ser feita por câmeras e sensores, como tags ou chips que fornecem os dados de identificação de cada veículo.

Os detalhes sobre a implementação do chip ou tag de identificação ainda não foram definidos, mas ao que tudo indica é o proprietário do veículo que deve arcar com a instalação que, por sua vez, ainda não teve seu custo divulgado. Também será preciso que pedágios eletrônicos sejam instalados nas rodovias e que haja a eliminação das praças de cobranças.

Esse tipo de tecnologia, apesar de ser nova no Brasil, não é uma novidade no restante do mundo, uma vez que esse sistema é usado há mais de 20 anos na América do Norte e na Europa — locais em que ele recebe o nome de “free flow”.

cote seguro auto pelo whatsapp

Quais são as suas principais vantagens?

Uma dúvida muito comum é se o pedágio cobrado por Km rodado é vantajoso e melhor do que o modelo de cobrança usado atualmente. Na prática, ele promete apresentar benefícios relevantes, como os que vamos apresentar a seguir!

Não deve haver filas

Com o pedágio por KM rodado não vai mais ter fila no momento de pagar a tarifa, já que os pórticos instalados em pontos estratégicos das rodovias devem reconhecer automaticamente o trecho percorrido pelo veículo.

Trata-se de uma grande vantagem, já que em viagens longas é normal perder um tempo considerável no momento das cobranças.

Provavelmente mais barato

Nessa modalidade há a vantagem da cobrança mais justa, afinal, o usuário deve pagar somente pelo trecho que ele, de fato, percorreu na rodovia.

Além disso, como novos usuários pagantes devem começar a pagar por trechos que antes não eram tarifados há um consequente aumento de receita e a possibilidade de uma diminuição de tarifas. Contudo, essa decisão cabe às administradoras das rodovias.

Mais segurança aos motoristas

Não é incomum que colisões ocorram perto das praças de pedágios, justamente porque nesses trechos é preciso reduzir a velocidade do veículo — o que muitas vezes pega um condutor desavisado de surpresa e gera danos.

Com o pedágio por Km rodado esse tipo de problema não existe, além de haver também um menor desgaste de pneus, motor e freios, uma vez que as frenagens antes das praças de pedágios, com aceleração em marcha lenta e posterior retomada, devem ser eliminadas, fator que deve reduzir também os gastos com manutenção dos veículos.

Quando a nova lei deve entrar em vigor?

Conforme o projeto original, essa alteração deveria entrar em vigor 180 dias após a sua aprovação, que aconteceu no dia 2 de junho de 2021.

No entanto, esse trecho foi vetado pelo governo federal e ainda não foi definido um novo cronograma de implantação. O esperado é que essa maneira de cobrança entre em vigor ainda em 2021.

Agora que você já sabe o que diz a lei sobre pedágio cobrado por Km rodado e conhece as suas vantagens, se mantenha atento às notícias para saber quando essa modalidade de cobrança passa a ser válida em todo o país!

O que você pensa do pedágio cobrado por Km rodado? Deixe um comentário e conte a sua opinião sobre o tema!

Posts relacionados

Deixe um comentário