Cooperativa de seguro veicular: por que não contratar esse tipo de seguro?

4 minutos para ler

O mercado atual apresenta alternativas de seguro para carro e pode ser que, antes de você compreender os riscos da cooperativa de seguro, não compreenda muito bem as diferenças nas propostas. Porém, já precisamos adiantar: as seguradoras tradicionais apresentam mais respaldo legal e muitas vantagens se comparadas com as cooperativas.

Siga a leitura e entenda os principais motivos para evitar a contratação de cooperativas de seguro veicular!

As principais diferenças da cooperativa de seguro e o seguro tradicional

Para ficar mais claro sobre quais são as diferenças práticas entre as cooperativas de seguro e as seguradoras tradicionais, preparamos uma lista. Siga a leitura e compreenda os pontos de diferenciação desses serviços:  

  • as seguradoras tradicionais contam com um valor pré-definido e você pode optar por parcelá-lo ou pagar de uma vez, as cooperativas cobram mensalidades variáveis (de acordo com a incidência de gastos no grupo;
  • as seguradoras veiculares oferecem contratos bem definidos sobre o que está incluso no plano de pagamento do segurado, já as cooperativas não contam com uma cultura de apólices;
  • as regras dos prêmios também divergem, no caso das seguradoras, o prêmio é o valor do seguro e é pago efetivamente, nas cooperativas, o prêmio é variável de acordo com o número de sinistros no grupo;
  • as seguradoras de autotradicionais contam com diversas fiscalizações do Governo, o que torna a experiência positiva garantida, já as cooperativas não são regulamentadas por nenhum órgão fiscalizador.         

Os riscos da contratação de seguro auto por cooperativa

Agora que você pôde conferir as diferenças pontuais entre as seguradoras tradicionais e as cooperativas de seguro, podemos apresentar a você os riscos dessa contratação. É muito importante que você considere esses pontos antes de decidir qual será a empresa que vai proteger o seu carro e o seu bolso.   

Ilegalidade

Como comentamos, esse serviço não é fiscalizado por qualquer instituição do governo. Como você já deve saber, há um órgão específico para regularizar os serviços das seguradoras, a SUSEP (Superintendência de Seguros Privados) e as cooperativas não fazem parte do grupo de empresas autorizadas pelo órgão. 

Poucas garantias

Mesmo que você esteja pagando corretamente as mensalidades da cooperativa de seguro, não há nenhuma garantia que a empresa ofereça a proteção adequada ao seu veículo. É muito comum que, quando qualquer sinistro ocorre (batida de carro, roubo ou incêndio), o proprietário e dito segurado pela cooperativa fique na mão.  

Ausência de amparo no Código de Defesa do Consumidor

Você sabia que nem sempre o Código de Defesa do Consumidor pode ser utilizado? Pois é, essas exceções ocorrem quando a operação não está amparada no documento, como é o caso das cooperativas de seguro. Portanto, caso a instituição ofereça qualquer serviço fraudulento, não é possível exercer o seu direito de consumidor e solicitar o dinheiro de volta, por exemplo.    

Possibilidade de falência

Considerando que essas empresas são ilegais, o que também corresponde a uma gerência irregular, e não contam com um fluxo de caixa fixo, as possibilidades de falência são enormes e essa questão pode prejudicar você de diversas formas, afinal, quando a cooperativa perder tudo, você também perde o seu investimento no seguro. 

Agora que você já sabe quais são os riscos relacionados à contratação de uma cooperativa de seguro veicular, já deve estar convencido de que não é uma boa ideia investir nessa estratégia de seguro auto. Porém, para garantir uma boa experiência com esse serviço, você deve considerar também a seguradora tradicional a ser contratada.

Lembre-se de conversar com a equipe e solicitar uma apresentação detalhada sobre os diferenciais para o consumidor. A nossa equipe está à sua disposição para isso: entre em contato conosco!    

   cote seguro auto pelo whatsapp

Posts relacionados

Deixe um comentário