Condutor principal do seguro: entenda quais são as regras

3 minutos para ler

Informar quem é o condutor principal do seguro é umas das principais ações a serem feitas no momento da contratação do serviço, tendo em vista a sua influência no valor total da apólice e, também, na utilização do seguro e seus benefícios. O problema é que existem várias situações em que um único veículo é dirigido por mais de uma pessoa. Então, como proceder nesse caso?

Leia este conteúdo e esclareça suas principais dúvidas sobre o assunto. Confira!

Como funciona a escolha do condutor principal do seguro?

Antes de tudo, é importante entender que o condutor principal é aquele que dirige o automóvel em torno de 85% do tempo, o que corresponde a 5 dias por semana em média, isso faz com que ele seja o segurado da apólice. No caso em que mais de uma pessoa da família utiliza o veículo, aquele que passa mais tempo é quem deverá ser apontado como o condutor principal.

O que deve ser considerado ao escolher o condutor principal?

Na hora de contratar um seguro de automóvel, o cliente precisa preencher um formulário com informações como frequência de uso, trajetos percorridos e demais dados sobre os motoristas, como: idade, profissão, estado civil, histórico de direção, entre outros.

Com base nesse cadastro, os riscos de sinistro serão mensurados pela seguradora. Quanto mais ameaças, mais alto o valor da apólice.

cote-seguro-auto-whatsapp

O que é o condutor adicional e quando ele deve ser acrescentado ao seguro veicular?

Apesar da necessidade de inserir um condutor principal no seguro, existe a possibilidade de indicar condutores adicionais, ou seja, aqueles que dirigem o carro por menos tempo, com certa regularidade, mas que também correm riscos de sinistro durante o uso, como cônjuge, filhos e demais parentes.

Nessa situação, algumas informações relevantes devem ser fornecidas, porque são elas que vão permitir o cálculo do risco, apontar as chances de ocorrência de algum sinistro e impactar novamente o valor do seguro. Esse conteúdo abrange nome completo, estado civil, gênero, profissão, idade, tempo de habilitação, endereço, lugares que costuma ir com o carro, ponto comum de parada do veículo (estacionamentos particulares ou na rua), frequência de utilização etc.

Ou seja, ao acrescentar um condutor adicional, pode ser que o valor do seguro aumente, e essa alteração pode ser até relevante dependendo do caso, já que isso vai variar dos riscos que o carro será exposto.

Vamos a alguns exemplos: um condutor adicional que tenha um tempo de experiência maior vai custar menos do que uma pessoa com habilitação recente, uma vez que os riscos de acidente são considerados menores.

Outra situação é a inserção de uma pessoa acima de 25 anos, assim o custo será mais baixo quando comparado a um jovem de 18 anos, pois a segunda faixa etária oferece riscos mais elevados.

Agora que você entende a importância de apontar o condutor principal do seguro e o condutor adicional, não deixe de apresentar todas as informações necessárias de forma adequada, afinal, ludibriar as regras com a finalidade de pagar menos no seguro pode fazer com que a seguradora se recuse a cobrir um sinistro, gerando prejuízos inesperados.

Conseguiu esclarecer suas dúvidas com este artigo? Deixe seu comentário aqui e compartilhe sua opinião, pergunta ou experiência sobre o tema!

Posts relacionados

Deixe um comentário